Transforme a vaga temporária em contratação

Imagem Divulgação

Com a proximidade do final do ano, o número de vagas temporárias em áreas digitais, como TI e programação, deve crescer fortemente. Segundo a Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário) até dezembro, cerca de 155 mil postos em áreas relacionadas a TI serão abertas no Brasil.

De acordo com Eduardo Ferraz, especialista em gestão de pessoas da Pactive Treinamento & Consultoria, este período oferece uma excelente oportunidade para quem deseja iniciar a carreira em TI, conseguir sua recolocação no mercado ou simplesmente mudar de área ou empresa.

“O segmento de TI é carente de pessoas talentosas e com bom conhecimento técnico. Então, é quase certo que profissionais que apresentem bom desempenho numa oportunidade temporária recebam convites para novos trabalhos ou para um contrato efetivo”, afirma Ferraz.

De acordo com a pesquisa da Asserttem, o número de vagas temporárias em TI (estimado em 155 mil postos estes ano) será 5,5% maior que o anotado em 2011, confirmando o aquecimento deste setor, mesmo num ano difícil para a economia brasileira. O índice é calculado pela Asserttem em colaboração do Sindicato das Empresas Prestadoras de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário do Estado de São Paulo (Sindeprestem).

Oportunidade de efetivação – O convite para a vaga efetiva pode ocorrer com a proximidade do término do trabalho temporário ou nos próximos processos seletivos após o termino do período, comenta Ferraz. Aproveitar este cenário requer demonstrar conhecimento técnico avançado da área pretendida e também um comportamento compatível com as expectativas da corporação.

Além disso, o especialista afirma que as atitudes são um dos principais fatores que podem favorecer a possível contratação do colaborador. “Com certeza a efetivação depende da necessidade da empresa e principalmente do desempenho do trabalhador”, diz Ferraz.

Segundo o especialista, muitos profissionais competentes, com bons conhecimentos técnicos, perdem a chance de ter um contrato efetivo por conta de mau comportamento. Atitudes como reagir mal a um feedback negativo, entrar em conflito com colegas, não cumprir prazos e horários comprometem as chances de sucesso de um profissional, mesmo que ele seja competente tecnicamente.

Ferraz recomenda concluir o período de trabalho temporário com bom comportamento, conhecer o máximo de pessoas possível para ampliar o networking e demonstrar interesse na área de atuação e pelas tecnologias demandadas pelo contratante. “Deixar as portas abertas é uma atitude inteligente e que pode render uma oportunidade ou até mesmo recomendações para outras corporações”, diz.

Mesmo que a vaga temporária se perca ao final do projeto, o profissional que tiver bom desempenho poderá colher frutos no futuro, como uma indicação para um novo trabalho de seu chefe de projeto ou de colegas de trabalho. Ou mesmo ser lembrado pela empresa, quando uma vaga efetiva surgir.

Via: Info

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest