Seja um colecionador de resultados!

Mauricio de Paula

Google Imagens

No modelo tradicional, um currículo consistente sempre foi aquele que demonstra boa formação, com bons cursos em instituições reconhecidas. Antes era fundamental ter uma formação universitária, depois veio a necessidade de uma pós-graduação. Certamente, ainda hoje, a formação é muito importante, mas não é determinante.

As empresas estão carentes de pessoas competentes. Pessoas que podem ajudá-las a alcançar seus objetivos. Pessoas com atitude!

Não vejo os profissionais preocupados em planejar o desenvolvimento de suas competências, porém, da mesma forma como é possível planejar a formação, é possível, e necessário, planejar o desenvolvimento de competências. Saber tomar decisões, fazer acontecer, saber se relacionar, se comunicar, liderar situações, criar, inovar.

Você já parou para pensar nisso? Se não parou, o momento é agora!

Mas o que fazer para conquistar esse desenvolvimento? Primeiramente, é importante que você se conheça. Saiba como está sendo visto. Peça feedback. Outra dica importante é a seguinte: Sabe aqueles desafios que surgem e que ninguém quer assumir? Traga para sua responsabilidade. Se coloque à disposição para desenvolver novas frentes, participar de projetos. Colecione “cases” de sucesso! Está fora da sua “expertise”? Busque conhecimento, se aproxime de quem conhece, peça ajuda.

Hoje o conhecimento está disponível com facilidade. Leia muito, estude. Quer refinar esse desenvolvimento? Faça coaching. Invista em você. O sucesso está nas mãos de quem tem postura ativa. A passividade é quase que uma doença na vida profissional, ela acaba com a carreira.

Aprenda a comunicar seu “produto”. O que os entrevistadores querem saber como você conquistou seus resultados. Que competências utilizou. Para que você possa atuar nesta linha será preciso agressividade. Não a agressividade no senso comum, mas a agressividade bem canalizada. Todo ser humano tem agressividade, o importante é saber para onde você está direcionando a sua.

Muitas vezes estamos direcionando nossa agressividade contra nós mesmos, o que pode nos levar a desenvolver as mais diversas doenças. Procure entender como isso funciona na sua vida. Mais uma vez, se perceber que precisa de ajuda, procure. Os psicólogos estão aí para isso.

A agressividade canalizada para a realização é saudável, e se essa realização estiver alinhada com sua inclinação profissional e com seus valores, certamente estará mais próxima do que chamamos de felicidade.

Fonte: RH Central

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest