Produção e emprego na indústria voltaram a cair em abril

Imagem Divulgação

A produção industrial voltou a cair em abril ao registrar 45,3 pontos. Com exceção do mês de março, a produção na indústria está em queda desde agosto de 2011. As informações são da pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta terça-feira, 22 de maio, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores variam de zero a cem. Valores acima de 50 indicam aumento da atividade, do emprego, acúmulo de estoques indesejados e utilização da capacidade instalada (UCI) acima do usual.

A UCI também ficou abaixo do habitual para os meses de abril, distanciando-se ainda mais da linha divisória dos 50 pontos. Caiu de 45,2 pontos em março para 42,6 pontos no mês passado. A indústria operou em abril, em média, com 71% da capacidade instalada, ficando dois pontos percentuais abaixo do registrado no mesmo mês de 2011.

Outro indicador que também recuou em abril foi o de número de empregados, que ficou igualmente abaixo da linha divisória dos 50 pontos, com 48,9 pontos, 0,6 ponto menos do que no mês anterior. Tanto a queda da UCI quanto do número de empregados não foi suficiente, porém, para diminuir os estoques indesejados. O índice de evolução de estoques ficou em 50,9 pontos em abril, acima da linha divisória dos 50 pontos. Além disso, os estoques ficaram acima do planejado. Esse indicador assinalou 53 pontos mês passado.

O economista da CNI Marcelo Azevedo assinala que o cenário negativo de queda na produção persiste desde o ano passado e atinge a maioria dos segmentos industriais. “O recuo na produção aliado ao acúmulo de estoques indesejados sinaliza que a recuperação da indústria deve ocorrer em um patamar menor do que prevíamos. O setor terá, primeiro, de diminuir os estoques para elevar a produção”, declara.

Expectativas afetadas – A diminuição da produção afetou as expectativas dos empresários em maio sobre a demanda, compras de matéria-prima e número de empregados nos próximos seis meses. Mesmo otimistas, os empresários estão menos confiantes do que em abril. Em relação à demanda, o indicador caiu de 59,9 pontos em abril para 59 pontos neste mês, enquanto o indicador de expectativas de compras de matéria-prima se reduziu de 57,4 pontos para 56,1 pontos no período. O índice de número de empregados recuou de 52,9 para 52,1 pontos de um mês para o outro.

Somente em relação às perspectivas sobre as exportações nos próximos seis meses – outro componente da pesquisa – houve melhora no otimismo dos empresários em maio comparativamente a abril. Este indicador subiu de 52,1 pontos no mês passado para 53,2 pontos. “Essa melhora deve ter sido influenciada pela valorização cambial, pois quando a pesquisa foi feita o dólar estava mais valorizado”, explica Azevedo.

A pesquisa Sondagem Industrial foi realizada de 2 a 15 de maio com 1.924 empresas, das quais 671 de pequeno porte, 757 médias e 496 grandes.

Via: RH.com 

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest