Por um ambiente de trabalho harmonioso

Ambiente de trabalho harmonioso

Um ambiente de trabalho propício ao bem-estar, à criatividade e ao bom desempenho é feito por meio de um árduo estudo de cores, formas e até mesmo do terreno em que pretende se levantar uma empresa.

Inês Cozzo, diretora e sócia-fundadora da T AI Consultoria e vice-presidente da ABTD, explica que as cores têm um papel importante no desenvolvimento que o empregado venha a ter dentro da empresa: “O vermelho, por exemplo, é bastante estimulante mas estressante também. Cores vivas e alegres ‘acordam’ as pessoas e tendem a estimulá-las (criatividade, energia, alegria, etc). Cores em tons pastéis tendem a estimular mais a tranquilidade, a reflexão, a calma, a serenidade, etc.”

A arquitetura, da mesma forma que as cores, desempenham um papel importante na formulação do ambiente. Por meio do subconsciente, as formas trazem lembranças que agradam ou não, que acabam refletindo no desempenho profissional.

É o caso de formas arredondas que estimulam no cérebro harmonia, paz, solidariedade, bondade, gentileza e cooperação, de acordo com Cozzo, por estarem associadas às formas dos bebês, “gordinhos, rechonchudos” comenta.

Já as formas pontiagudas, remetem às lembranças completamente contrárias às redondas. “As pontiagudas estimulam belicosidade, competitividade, agressividade por estarem associadas a armas como espadas, facas, etc.”, explica e vai além: “Observe que todas as imagens que fazem parte do inconsciente coletivo seguem essas ‘regras’: Papai Noel e todas as princesas e príncipes têm formas arredondadas e as imagens que pretendem representar o mal são pontiagudas, angulares, contundentes”.

Seria necessário também estudar o terreno no qual será erguida uma empresa? Para Cozzo, esse é um trabalho que ela começou a desenvolver depois de descobrir que abaixo de sua antiga casa passavam lençóis freáticos por praticamente todos os cômodos.

No período em que ela e o marido lá moravam, as brigas eram constantes. “Depois do trabalho feito por um radiestesista extremamente competente, que descobriu os tais lençóis, as coisas mudaram muito. Passamos a fazer esse trabalho de forma preventiva desde então”, finaliza.

 

Fonte: RH Central

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest