Negócios do outro lado do mundo

Como tirar o máximo proveito das missões comerciais ao exterior organizadas por entidades empresariais e de classe
Por Rachel Reis

Fazer parte de uma missão comercial ao exterior é uma das formas mais acessíveis para pequenos e médios empresários darem os primeiros passos rumo ao mercado internacional. Essas viagens de negócios, em que empreendedores se juntam num grupo e dividem os custos, costumam ser organizadas por associações empresariais e câmaras de comércio e incluem uma programação que geralmente mistura participações em feiras internacionais com visitas a potenciais clientes e divulgação dos produtos brasileiros. As missões também são uma forma de aprender mais sobre o mercado em outros países e ter reuniões com empresários de setores específicos. Por tudo isso, essas viagens vêm atraindo um número cada vez maior de pequenos e médios empreendedores, como Vicente Van de Velde, gerente de operações comerciais da Jasmine Alimentos, fabricante de produtos orgânicos de Curitiba. Em março, ele participou de uma missão para os Estados Unidos, onde visitou uma feira específica do setor na Califórnia. “Foi uma ótima ocasião para mostrar nossos produtos ao mundo”, diz ele.

Mas, para aproveitar bem esse tipo de oportunidade, é preciso tomar certos cuidados antes de embarcar no avião — ou corre-se o risco de ver o investimento que deveria abrir novos negócios transformar-se em não mais do que alguns dias de turismo. Entre os procedimentos básicos que precedem uma missão empresarial bem- sucedida estão, por exemplo, imprimir materiais promocionais e cartões de visita traduzidos para o inglês e para o idioma do país a ser visitado. “A apresentação da empresa deve ser criteriosa, mostrando onde ela está situada no Brasil e seu raio de abrangência”, diz Alexandra Betting, executiva de comércio internacional da Câmara Americana de Comércio (Amcham), que promove missões comerciais para os Estados Unidos e também para outros países, como Alemanha e Emirados Árabes Unidos. É importante, ainda, fazer um planejamento com base em dados sobre o mercado a ser explorado e o tipo de empresa procurada — seja para exportar, importar ou fazer algum tipo de associação no exterior.

FONTE: Portal Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest