Como ser mais feliz no trabalho em 2012

Como ser mais feliz no trabalho em 2012

Segundo especialistas é preciso avaliar sua relação com o dinheiro e a qualidade de vida que está levando.

Parar de reclamar pode ser o primeiro passo para que você se sinta mais satisfeito no trabalho. Comece o ano focando em assuntos que podem trazer satisfação para que você se sinta recompensado ao final de um dia de trabalho.

Ana Paula Zacharias, CEO da Hunter Consulting Group, afirma que nossa condição pessoal é fundamental para a qualidade do nosso trabalho. Se, não há muito tempo um workaholic era elogiado, hoje percebe-se que trabalhar durante várias horas não tem ligação direta com a qualidade da demanda.

Confira abaixo cinco perguntas que você deve fazer para avaliar o quanto você está satisfeito com sua carreira.

1 – O quanto você se identifica com a liderança da empresa?

Para Ana Paula, você pode até não ver o presidente da empresa em que você trabalha, mas é possível avaliar como é a sua gestão com base no reconhecimento que tem no mercado ou na maneira que lida com problemas. Cheque se essas políticas, realmente, são coerentes com suas aspirações pessoais.

2 – Como é a sua qualidade de vida?

Você está satisfeito com o tempo que passa com a sua família? O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é fundamental para que o trabalho não vire fonte de frustrações e problemas. Para isso, mude hábitos. Organize-se, deixe de ser multitarefa, seja disciplinado. Faça de tudo para ter hábitos de profissionais altamente produtivos.

3 – Quais são as perspectivas de crescimento profissional?

Para Lea Federman, sócia da 2GET,o profissional que se preocupa com a sua carreira e investe em especialização e capacitação com cursos tem mais chances de se destacar, mas para isso é preciso ter oportunidades na empresa.

Por isso, o desenvolvimento na carreira é um elemento essencial para que você sinta se pleno no trabalho.

4 – Os seus valores estão alinhados com os da empresa?

O que você realmente preza e gostaria que seus colegas de trabalho também compartilhassem? Honre seus valores, pois se você se sente oprimido ou obrigado a trabalhar de uma maneira que você não concorda, o trabalho pode não compensar.

5 – A remuneração atende as suas necessidades?

Muitas pessoas acham que precisam permanecer em um emprego que, por sinal odeia, por conta do salário. Reflita sobre sua relação com o dinheiro, não vire escravo de um estilo de vida que não permite que você usufrua um tempo livre com a família ou que só existe para alimentar seu ego.

“Um salário alto encanta no primeiro e no segundo mês, mas se o trabalho não oferece desafios que agradem, acaba não valendo a pena”, afirma Lea. Para Ana Paula se a remuneração não atender os principais gastos, aí sim é preciso rever e procurar outro emprego. Lembre-se: dinheiro não é tudo. Entre as profissões que têm as pessoas mais felizes estão carreiras totalmente baseadas em paixões e não em salários eloquentes.

 

Fonte: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest