Como lidar com familiares no ambiente de trabalho?

Trabalhando com a familia

Especialistas dão dicas para evitar que uma reunião de negócios vire um almoço de domingo

São Paulo – Para alguns profissionais não é incomum ter que lidar diariamente com o chefe ou colega de trabalho dentro e fora da empresa. A razão é simples, ele também faz parte da família.

Experiência fora

Para a diretora executiva da Career Center, consultoria especializada em gestão estratégica de Recursos Humanos e Outplacement, Karin Parodi, antes de ingressar na empresa da família, o ideal é que o profissional adquira experiência em outros locais. “É importante para criar competências, compreender o mundo corporativo e a aprender a etiqueta das relações de trabalho”, explica.

“As experiências fora da empresa ajudam a criar referências e obter autoestima profissional. As outras pessoas da empresa o valorizarão e o profissional não será tachado de passarinho de gaiola”, completa Herbert Steinberg, presidente da Mesa Corporate Governance, consultoria especializada em empresas de origem familiar.

Para o profissional que não tem experiência anterior e não considera uma opção viável sair e voltar para a empresa, a dica de Parodi é tentar participar de projetos paralelos, como ONGs.

Conheça a empresa

Essa dica vale para qualquer profissional. Segundo Steinberg, conhecer a empresa a fundo é essencial. “Ao conhecer a organização, entender quais são as regras, as pessoas e as suas funções, o profissional evita uma abordagem ‘doméstica’, misturando funções e áreas”, explica.

Postura corporativa

De acordo com os especialistas os profissionais que tem relações familiares com a empresa tendem a ser mais cobrados. E, por consequência, passam a ser um modelo para os outros funcionários.

“Se cobre para ser um funcionário ou chefe modelo. Saiba separar assuntos pessoais do trabalho. E quando colegas de trabalho pedir favores, o senso crítico é importante. Lembre se de que problemas não podem ser resolvidos só porque você é parente”, explica Parodi.

Uma empresa tem valores e como funcionário da empresa você deve segui-los. Jamais use a família como vantagem para obter informações privilegiadas ou adote atitudes que não condizem com a ética da empresa. Segundo Steinberg, isso evita que o profissional fique exposto aos rumores e fofocas dentro da empresa.

Trabalho x Família

Como fazer para que uma reunião não vire um almoço de domingo e vice-versa? “É muito difícil, é preciso muita disciplina”, afirma Steinberg.

Uma empresa familiar profissionalizada tem um passo a passo, um protocolo para a mediação de conflitos. Esse conselho vale para situações, por exemplo, em que um dos lados quer saber como está o caixa da empresa. Para Steinberg, “por ser parente, algumas pessoas tendem a achar que a pergunta é ofensiva e que o seu trabalho está sendo questionado. É imprescindível que o profissional entenda que faz parte”.

Para Padori é indicado estabelecer um limite para falar sobre negócios durante o final de semana. “É importante para evitar que se acabe perdendo o controle de informações que são da empresa. Pior ainda levar problemas pessoais para o trabalho. Melhor evitar”, aconselha a diretora.

 

Fonte: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest