Como ganhar (ou recuperar) a confiança do seu chefe

size_810_16_9_confianca

Perder a confiança do seu chefe pode ter efeitos devastadores sobre a sua carreira. Sem credibilidade, você dificilmente receberá novos projetos, aumentos, promoções e até indicações no futuro.

Mas o que é necessário para construir – e, sobretudo, preservar – esse vínculo?

Segundo João Marcelo Furlan, diretor da empresa de treinamento Enora Leaders, estão em jogo três ingredientes principais.

O primeiro é o conhecimento demonstrado pelo funcionário. “O seu gestor precisa saber que você domina o que faz”, explica. “Mesmo que a relação pessoal entre vocês dois seja ótima, não vai existir confiança enquanto ele não estiver convicto da sua competência”.

O segundo fator tem a ver com a sua consistência. É um processo de longo prazo. Você preenche esse requisito se estabelece uma rotina de boas entregas, mantém um comportamento constante e atende às expectativas que aos poucos são formadas a seu respeito.

O último ingrediente é a identificação pessoal entre líder e liderado. Segundo Furlan, é a forma mais rápida de conquistar a confiança do outro: reconhecer gostos, vivências e valores em comum com ele.

A seguir, veja os fatores que envolvem a conquista, a perda e o resgate da confiança no ambiente de trabalho, sobretudo na relação com gestores:

 

Como ganhar

Para Eduardo Ferraz, autor do livro “Seja a pessoa certa na hora certa” (Editora Gente), conquista credibilidade quem tem o que ele chama de “autoridade moral”.

“São aqueles profissionais claramente competentes em sua área, que têm um temperamento constante e respeitam a posição hierárquica do chefe”, explica.

Também é fundamental investir no seu relacionamento pessoal com o gestor – mas jamais bajular.

“Vale a pena almoçar com ele de vez em quando, compartilhar problemas, pedir conselhos”, diz o especialista. “É preciso paciência, porque conquistar intimidade leva muito tempo”.

 

Como perder

Enquanto conquistar a confiança do seu chefe pode demorar anos, destruí-la pode ser uma questão de segundos.

De acordo com Fernando Jucá, sócio da empresa de treinamento Atingire, a forma mais comum de ruptura acontece quando o funcionário frustra expectativas sobre a sua capacidade técnica.

“Vai desde esquecer ou atrasar uma tarefa até entregar algo com uma qualidade muito inferior ao normal”, afirma Jucá.

Mais raramente, a perda de confiança decorre de problemas de relacionamento. Esse é o caso mais grave: mostras de deslealdade, como fofocas, intrigas e mentiras, podem ter danos irreversíveis.

 

Como recuperar

Após uma quebra de expectativas, o primeiro passo orientado pelos especialistas é refletir sobre o ocorrido e chamar o seu chefe para uma conversa pessoal.

Durante a reunião, Furlan recomenda deixá-lo falar à vontade sobre o que o decepcionou. “Ouça com humildade, sem rebater, peça desculpas e mostre que você também está desconfortável com a situação”, afirma.

Também é importante apresentar um plano de ação. O que você fará imediatamente para reverter o problema? Quais são as medidas a longo prazo? Deixar claras as respostas a essas perguntas é fundamental.

Finalmente, é preciso implementar o óbvio: andar na linha. “Cuide em dobro da sua postura e das suas entregas dali em diante”, diz Ferraz. “Talvez você não tenha uma segunda chance”.

Em tempo: isso não significa que você deva desligar o seu senso crítico. Segundo Jucá, é um erro obedecer cegamente ao chefe só para tentar reconquistá-lo. “Se deixar de agir de forma inteligente e autônoma, você vai perder ainda mais credibilidade”, diz.

 

Fonte: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Pin It on Pinterest