As regras para elaborar um bom currículo para executivos

Complexidade dos cargos no alto escalão exige currículos focados em resultados e que mostrem, nas entrelinhas, o quanto bom líder o executivo é

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

É preciso muita envergadura profissional para pleitear (e conquistar) uma oportunidade profissional em um cargo de nível executivo. E isso deve ser exibido em cada linha do currículo de quem se candidata a este tipo de vaga.

Por conta disso, de acordo com Ricardo Amatto, diretor da Fesa, o currículo feito sob medida para atender a um cargo do alto escalão das empresas possui algumas peculiaridades quando comparado com outros modelos do tipo. Veja quais são elas:

Hierarquia

Mais do que as qualidades técnicas, é a capacidade de liderar pessoas, tomar decisões rápidas e negociar, entre outras habilidades comportamentais, que fazem a diferença na rotina corporativa de um gestor. Tais competências, contudo, só podem ser provadas por meio das vivencias que você teve ao longo da carreira. Por isso, por melhor que seja sua formação educacional, comece pelo tópico de experiência profissional.

Prove sua experiência

De acordo com Amatto, é essencial mostrar qual é o “tamanho da cadeira” que você ocupa atualmente. Como? No item descrição do cargo, liste o número de pessoas que estão sob sua batuta e a quem você se reporta. “Isso dá uma boa noção sobre a sua situação dentro da estrutura organizacional”. Saliente também o perfil da equipe que você lidera ou liderou.

Exiba as conquistas e experiências relevantes

Os resultados que você entrega servem como termômetro para avaliar suas estratégias de gestão. Por isso, não deixe de mencioná-los no currículo – logo abaixo da descrição de cada cargo. Descreva também seu envolvimento em fatos estratégicos da companhia – como um processo de fusão e aquisição, entre outros.

Liste o que você faz fora do expediente

Elencar, no currículo, hobbies, atividades como dar aulas em cursos diversos e interesses ainda não faz parte da cultura brasileira e nem é uma postura obrigatória. Mas, de acordo com o especialista, isso pode ajudar o recrutador (que lê o currículo) a traçar melhor seu perfil.

Tenha uma cover letter

“Para o alto escalão, posições de diretoria, uma carta de apresentação é bem vista”, afirma Amatto. É lá que você poderá aprofundar algumas questões não pertinentes ao currículo e esboçar melhor seu perfil tendo em vista as habilidades comportamentais. “É algo que pode acrescentar valor ao processo”, diz.

Duas páginas é o ideal

Por mais extensa que seja a sua experiência, elabore um currículo de no máximo (no máximo mesmo) três páginas. O ideal, de fato, são duas, explica o especialista. “A ideia é o executivo despertar a atenção de quem vai receber o material”, diz o diretor da Fesa.

Via: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest