A era dos especialistas chegou ao fim?

noticia_101940

 

O atual mercado de trabalho busca profissionais com múltiplas experiências.

“Ele é difícil, mas ele entende do que faz”. Essa frase pode ser comum a muitos profissionais em equipes técnicas de diversos setores industriais. Entretanto, segundo especialistas em recrutamento e seleção, esse cenário está prestes a chegar ao fim. O movimento deve ser visto positivamente, pois tudo que tira os profissionais de suas zonas de conforto promove uma evolução interessante tanto para as empresas quanto para carreiras pessoais.

Competências ligadas a posturas mais flexíveis estão no topo das exigências das empresas. “Hoje muitas empresas têm buscado trazer para sua equipe não somente profissionais da mesma área, mas também de outros setores, no sentido de oxigenar e diversificar a empresa”, conta Aurea Imai, sócia da Boyden, empresa global de recrutamento e seleção de executivos.

“As posições que estamos preenchendo têm cada vez mais sinergia com essa expectativa das empresas: profissionais de áreas diversas e que venham a agregar com um approach diferente”, garante.

Entender muito do técnico não traz ao profissional a garantia de que ele atue com boas práticas. “O especialista pode não ser um bom exemplo de relacionamento, não ter capacidade de empatia e liderança, e muito menos de pensar em toda a cadeia produtiva para realizar o seu trabalho”, explica Aurea. Além disso, há uma necessidade de ter um diferencial perante a concorrência, e as empresas estão buscando inovar e sair do lugar comum.

Essa valorização de outras experiências em áreas de consumo, marketing e serviços, tem sido estratégica na hora de contratar, principalmente no período da crise. “Agora é necessário vencer a barreira da competitividade e, para isso, é interessante contratar profissionais de diferentes trajetórias”, diz a especialista.

 

Fonte: Administradores

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest