7 frases proibidas em uma conversa com o chefe

Imagem Divulgação

Confira o que você não deve falar para um gestor se está em busca de sucesso na carreira corporativa, na opinião de três especialistas

Se o seu “passaporte” para a tão sonhada promoção está nas mãos do seu chefe, você sabe bem que o sucesso no ambiente corporativo passa obrigatoriamente por um bom relacionamento com ele.

Por isso, além de habilidades técnicas, as pessoas que buscam subir alguns degraus na carreira precisam também desenvolver competências de comportamento e comunicação. Afinal, são as dificuldades nestes campos que acabam jogando para escanteio muitos profissionais.

De acordo com especialistas, a atitude é o que separa um profissional em ascensão daquele que é um forte candidato à demissão. “O profissional bem sucedido e indispensável é aquele que se antecipa às dificuldades, prevê obstáculos e está sempre pronto a fazer parte da solução”, diz Celia Spangher, diretora de gestão do talento da Maxim.

Na opinião dela, pessoas que ficam arranjando desculpas ou subterfúgios para justificar a própria reatividade ou falta de comprometimento têm muito mais chances de se “queimarem” com o gestor. Confira quais as 7 frases devem ser abolidas de uma conversa com chefe, na opinião de três especialistas.

1 “Isso não é comigo” ou “ Não é problema meu”

Profissionais que estão sempre tirando o time de campo não são bem vistos no ambiente corporativo. “Frases como essas estão entre as piores. São reativas, defensivas e demonstram total falta de comprometimento”, diz Celia.

Maria Beatriz Henning, da Exceed, concorda. “Lavar as mãos não é uma atitude indicada”, diz a especialista. Para Silvio Celestino, sócio da Alliance Coaching, a frase é incompleta e transmite ao chefe a mensagem de que ele não pode contar com você. “Não há problema em dizer que não é sua alçada, mas é preciso dizer que vai encaminhar a demanda para quem for responsável e acompanhá-la”, diz o especialista.

Buscar a solução é muito mais indicado, na opinião dos especialistas. “Vá atrás”, recomenda Celia. “Diga ao chefe que vai ajudá-lo a resolver”, diz Maria Beatriz.

2 “Ninguém me informou sobre o prazo”

A frase indica que o profissional espera que as informações venham até ele ao invés de ir atrás delas. “A gente sabe que essas coisas acontecem, mas não devem servir de desculpas para justificar a falta de proatividade”, diz Celia.

Na opinião de Celestino, cabe ao profissional estabelecer um prazo, caso ele não tenha sido dado. “Ele deve dizer que ninguém falou qual era o prazo, mas que ele estabeleceu um”, diz Celestino.

3 “A minha parte eu fiz, o João é que não enviou a parte dele”

Na opinião de Celia, não há nada mais irritante para um gestor do que ouvir uma frase deste tipo. “Isso lembra aquelas briguinhas de criança em que um aponta o dedo para o outro”, diz.

Para Maria Beatriz, há formas diferentes de fazer uma colocação . “A pessoa deve mostrar proatividade em resolver, não precisa ter a atitude de ‘fritar” o colega de trabalho”, diz.

“O problema desta frase é que, com ela, o profissional não ajuda em nada a empresa. Espera-se que as pessoas tenham uma visão mais abrangente”, diz Celestino.

O ideal é assumir a responsabilidade, liderar a solução, evitando fazer parte do problema, na opinião de Celia. Como gestora ela diz que gostaria de ouvir a seguinte frase: “a minha parte já está pronta, e eu estou colaborando com o João para terminar a parte dele”.

4 “Não concordo”

Para Celestino, essa é a frase mais importante. “É que mais queima o filme e é muito falada nas empresas”, diz. Nenhum chefe tem tempo de ficar convencendo os funcionários e muitas vezes há informações estratégicas às quais eles não têm acesso, explica o especialista.

“No Brasil, as pessoas acham que têm que ser convencidas e só podem fazer aquilo com o que elas concordam”, diz Celestino. De acordo com ele, há formas melhores de tratar sobre uma discordância do que simplesmente dizer: não concordo.

“A melhor forma é explicar qual o propósito da empresa que a pessoa está observando e que o chefe não está, assim o diálogo tem uma continuidade”, diz. Ou seja, o que vale é estar sempre alinhado a empresa.

5 “Não quero (ou prefiro não) atender esse cliente”

A frase acima sem dúvida vai desgastar a relação com o chefe, diz Maria Beatriz. “Todo trabalho tem uma parte que você não gosta de fazer, mas tem que adaptar”, diz ela.

Todas as profissões têm bônus e o ônus, explica Celestino. “Seria bom se fosse possível escolher os clientes, mas isto não é possível, é preciso atender os que são favoráveis e também os adversos”, diz Celestino. A mensagem que a pessoa vai transmitir ao gestor é que ela só está interessada no bônus, na opinião do especialista.

6 “Não vou fazer porque não sei”

Uma tarefa nunca feita antes é sinônimo de aprendizado. E ter a curiosidade e o interesse em aprender coisas novas é algo que os gestores valorizam. Por isso lançar uma frase neste estilo pro seu chefe definitivamente vai mostrar que você não um profissional interessado em aprender.

“Quando o chefe pede algo, não necessariamente você vai saber fazer. Mas você está ali para resolver e não para devolver um problema”, diz Maria Beatriz. Na opinião dela a resposta ideal é dizer ao chefe que vai procurar a solução, que vai aprender a fazer.

“A natureza dos negócios é tecnologia hoje em dia, então surgem coisas novas a todo instante”, diz Celestino. A adaptabilidade, diz o especialista, é condição essencial do sucesso no mundo corporativo. “Seria mais apropriado dizer ao chefe não tem o conhecimento mas vai descobrir como fazer”, diz.

A exceção fica por conta de tarefas que exijam uma habilitação específica. “Nesse caso cabe dizer isso porque é inseguro e com certeza vai contra o propósito de qualquer empresa”, diz Celestino.

7 “Cheguei atrasado porque peguei trânsito”

Valer-se de uma desculpa baseada em algo imutável, como o trânsito em um grande cidade como São Paulo, é pedir para que o chefe torça o nariz para você, diz Celestino. “Isso demonstra que a preocupação deste profissional é apenas estar certo”, explica o especialista.

Outro exemplo de usar uma realidade que não vai mudar como justificativa por não ter feito alguma tarefa é dar a desculpa de que está com muito trabalho. “Em que empresa, hoje em dia, não há muito volume de trabalho?”, pergunta Celestino.

Via: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest