6 situações em que você deve dizer não para o seu chefe

nao-chefe

Uma história de sucesso profissional é construída com muito sacrifício, abnegação e trabalho duro. Ela também é composta por muitos “nãos”.

Afinal, recusar tarefas que não fazem sentido ou desrespeitam a sua integridade física, psíquica e moral é tão importante quanto atender às exigências mais básicas da sua profissão.

Em entrevista exclusiva a EXAME.com, o inglês Greg McKeown, autor do best-seller, “Essencialismo: A disciplinada busca por menos” (Editora Sextante, 2015), é categórico: se você faz todas as vontades do chefe, está no caminho errado.

Isso porque dizer “sim” para tudo desloca o foco para o que não é essencial. Quem só “apaga incêndios” está sempre sem tempo – e no entanto, ironicamente, está longe de ser produtivo.

Em artigo para o LinkedIn Pulse, o especialista em inteligência emocional Travis Bradberry reuniu 6 situações em que é preciso impor limites aos pedidos do seu chefe. Veja a seguir:

1. Se o trabalho estiver prejudicando a sua saúde
Sentir cansaço ao fim de um dia de trabalho é natural – e pode ser até prazeroso, se você souber que cumpriu sua missão. No entanto, é preciso tomar cuidado para o desgaste não virar estafa.

O impacto do excesso de trabalho para a saúde é lento, gradual e, por vezes, imperceptível. “Quando você se der conta, já estará com uma mão nas costas doloridas e outra esfregando os olhos de zumbi”, diz Bradberry. O ideal é aceitar novas tarefas até a medida em que a sua saúde esteja sendo respeitada.

2. Se você está perdendo a sua identidade fora do trabalho
Seu chefe age como se você fosse o seu cargo, e nada mais? Se esse é o caso, pode ser a hora de estabelecer limites mais claros para a relação entre vocês.

Afinal, deixar que a sua identidade desapareça por trás de um crachá é um grande entrave para a sua felicidade. Ter uma personalidade própria e “não-profissional” é essencial para crescer como pessoa e não sucumbir ao estresse.

3. Se você está sofrendo mentalmente
Ainda que você ame o seu trabalho, é preciso investir na vida fora do escritório para preservar o seu bem-estar psíquico.

De acordo com Bradberry, o seu chefe jamais conseguirá acompanhar a sua sanidade mental: quem tem que cuidar disso é você. “Muitas vezes é a sua vida pessoal que mantém você saudável”, escreve o especialista. “É importante dizer ‘não’ para o seu gestor quando você precisar de uma pausa”.

4. Se você está sacrificando a sua família
As necessidades do seu chefe estão roubando espaço da sua agenda para aproveitar a família? Luz vermelha, diz o consultor. Nem sempre é fácil equilibrar vida profissional e pessoal, mas o esforço compensa.

“Quando você estiver no seu leito de morte, não vai se lembrar de quanto dinheiro você trouxe para o seu cônjuge e para os seus filhos. Você vai se lembrar das memórias que criou com eles”, escreve Bradberry.

5. Se o chefe quer se apoderar do seu networking
Por mais que a sua atuação numa empresa tenha trazido novas pessoas para o seu círculo, isso não significa que você deva aceitar a intromissão do seu gestor na sua rede de contatos.

“Esse é um produto do seu trabalho e do seu esforço e, ainda que você possa compartilhar contatos com o seu empregador, eles pertencem a você”, escreve o consultor.

6. Se você está perdendo a sua dignidade
Sacrificar a sua ética em nome de um pedido da empresa é inaceitável na visão de Bradberry. “Se as suas ações não estiverem mais alinhadas com os seus princípio, chegou a hora de dizer ao seu chefe que você não fará as coisas do jeito dele”, afirma ele.

Se o seu posicionamento desagradar à empresa, conclui o especialista, a única saída pode ser procurar um novo emprego.

 

Fonte: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest