5 formas de descobrir se o seu salário é justo

 

por Claudia Gasparini, de EXAME.com

Na hora de negociar um aumento ou apresentar uma pretensão salarial numa entrevista de emprego, saber qual é o valor do seu “passe” no mercado de trabalho faz toda a diferença.

Mas como saber qual é o salário adequado para você com tantas variáveis envolvidas nessa equação – para não falar no tabu que envolve o assunto?

Com o objetivo de ajudar quem busca referências sobre a remuneração em sua área, o consultor britânico Bernard Marr reuniu algumas táticas no LinkedIn Pulse.

Segundo ele, vale buscar informação sobre o assunto regularmente para não ser “esquecido” pelo RH da empresa.

“É comum que pessoas que passam muito tempo numa única empresa fiquem para trás e não recebam o salário que merecem, simplesmente porque elas não checam os padrões do mercado e deixam de pedir aumentos”, escreve Marr.

Veja a seguir 5 dicas do consultor para descobrir o intervalo salarial mais compatível com a sua função:

1. Acesse sites com informações sobre a remuneração praticada na sua área
Portais e ferramentas disponíveis na internet são um bom ponto de partida para conhecer os salários oferecidos pelo mercado. No Brasil, sites como Salariômetro, Love Mondays e Catho costumam trazer informações do tipo. Também é possível consultar guias salariais divulgados por consultorias de recrutamento como a Robert Half ou a Hays.

Uma desvantagem de usar esses recursos, diz Marr, é que normalmente eles não consideram fatores como experiência ou localização geográfica. Além disso, nem sempre você encontrará a descrição exata do seu cargo nas tabelas.

2. Consulte seus pares
Uma maneira óbvia de saber como vai a remuneração média do mercado é consultar colegas de profissão a respeito. Mas, claro, isso pode ser muito constrangedor.

Para Marr, uma boa saída é perguntar algo mais genérico, como “Este salário mensal parece correto para você?” ou “Parece alto ou baixo para você?”. Mesmo sem uma resposta exata, você pode descobrir a posição do seu empregador em relação à média quando o assunto é remuneração.

3. Procure pelo seu próprio emprego na internet
Outra sugestão do consultor britânico é tentar encontrar a uma vaga parecida com a sua em sites de recrutamento. Não que isso seja sempre possível, já que o salário nem sempre é mencionado.

Mesmo assim, vale a tentativa. “Com isso, você pode começar a enxergar um intervalo”, escreve Marr. É bom lembrar que você deve consultar oportunidades que se assemelhem ao máximo ao seu emprego, desde a localização geográfica até o porte do empregador.

4. Entre em contato com organizações profissionais
De sindicatos a grupos no LinkedIn, há diversas associações que podem ser consultadas sobre as médias salariais de uma área.

Em alguns casos, a consulta pode ser feita pela internet, mas também pode ser necessário entrar em contato direto com seus representantes.

5. Busque referências na área pública
No Brasil, a Lei do Acesso à Informação exige a divulgação da remuneração dos funcionários públicos. Outra dica de Marr é consultar os salários de algumas funções públicas parecidas com o que você desempenha.

A tentativa é válida, na opinião do consultor, ainda que a relação da esfera pública com a iniciativa privada muitas vezes seja distante. “Você se surpreenderia com a variedade de empregos que entram no ‘guarda-chuva’ governamental, de chefs e zeladores a especialistas em mídias sociais e analistas de dados”, afirma o especialista.

 

Fonte: Exame

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Pin It on Pinterest