4 filmes que vão fazer você refletir sobre vendas

noticia_103053

Conheça histórias que podem ser ótimas fontes de inspiração, seja com lições sobre o que fazer ou o que deve ser evitado na área de vendas.

Alguns filmes podem ultrapassar o objetivo inicial de, meramente, entreter. Eles podem ser verdadeiras fontes de inspirações para as mais variadas áreas das nossas vidas e carreiras. Seja no âmbito pessoal ou profissional, podemos aprender com títulos que mostram alternativas e demonstram como a força de vontade pode transformar vidas e fazer do sucesso uma marca própria.

Para quem lida com a área de vendas, os filmes também pode ser ótimas fontes de inspiração, seja com lições sobre o que fazer ou o que deve ser evitado.

Elencamos aqui quatro longas que, de alguma maneira, deixam lições para quem trabalha com vendas. Confira:

 

Carros usados, vendedores pirados (2009)

Na comédia “Carros usados, vendedores pirados” (“The Goods: Live Hard, Sell Hard”) Don Ready é um vendedor de carros conhecido pelo seu dom de convencer clientes durante suas compras. Só que, por causa de um acidente durante a comemoração de uma grande venda, ele é obrigado a se afastar do trabalho. Tempos depois, no entanto, o personagem é convidado pelo amigo Ben Selleck para ajudá-lo a salvar sua empresa, que está prestes a falir.

Ready aceita o desafio de monta uma nova equipe que tem como objetivo principal a venda de todo o estoque em um prazo de apenas três dias. O filme mostra a importância de se trabalhar em equipe e de como o planejamento e a presença de um líder são importantes para o sucesso de qualquer missão. Mas mostra também os dilemas éticos (aos quais Ready, diga-se de passagem, não dá muita atenção), as disputas internas, as sabotagens dentro de uma mesma equipe, entre outras coisas.

 

Clube de Compras Dallas (2013)

O roteiro desse filme mostra a história de Ron Woodroof, eletricista que, ao descobrir que tem aids, passa a adquirir ilegalmente medicamentos não-aprovados pela FDA, um órgão norte-americano que regula os alimentos e medicamentos no país.

Com um grande mercado disponível, Woodroof descobre que fazer a distribuição dos medicamentos que consegue para si a outros pacientes com a doença pode ser um negócio bastante vantajoso. Assim, ele forma o “Clube de Compras Dallas”.

Ao longo do filme, Woodroof deixa várias lições valiosas e algumas especiais para vendedores. A primeira é o fato de perceber que tinha nas mãos um produto que transformaria a vida das pessoas e, então, lutar para tornar isso acessível a elas (com os medicamentos importados, ele prolongou e melhorou a qualidade da própria vida e da de muitos outros pacientes).

Outra lição é a da persistência. Woodroof foi preso, perseguido e quase morreu para conseguir viabilizar seu clube. Mas nunca desistiu. Depois de muitas batalhas e quedas de braço com a indústria farmacêutica, a própria FDA acelerou a liberação dos medicamentos que ele importava.

Por fim, a lição de que negócio é negócio. Mesmo ciente de que seu clube tinha a missão de viabilizar um tratamento melhor para pacientes que sofriam com aids, quem não podia pagar ficava sem o remédio.

 

À Procura da Felicidade (2006)

Nesse filme, o personagem de Will Smith (Chris Gardner) é um pai de família que vende aparelhos médicos para sustentar o filho e a mulher, que o abandona durante a história. O problema é o insucesso de Chris como vendedor, uma vez que seus produtos vendem menos por serem mais caros.

Ao sair do ramo, o personagem vai trabalhar como estagiário em uma corretora de ações. Ele não recebe remuneração pelos serviços, mas persiste na esperança de ser contratado após o período de testes.

Chris Gardner se vê cercado de problemas e com pouco dinheiro, sendo inclusive despejado de seu apartamento junto com o filho de cinco anos. O personagem, então, se reinventa para garantir uma melhor condição de vida para seu filho.

A principal lição deixada pelo filme é de que devemos correr atrás de um objetivo e termos em mente que somos capazes de conquistá-lo. Outra mensagem transmitida pelo longa é a de que é necessário ter, antes de tudo, sensibilidade para identificar as reais oportunidades e, em seguida, focar nelas.

 

O Lobo de Wall Street (2013)

Esse filme contra a história real de Belfort (Leonardo di Caprio), que fez fortuna com uma corretora que tinha práticas não muito corretas no mercado de ações. Por já ter muita prática no setor, o personagem consegue uma longa clientela em pouco tempo de trabalho e decide abrir uma empresa junto ao seu amigo Donnie Azoff, interpretado pelo ator Jonah Hill.

A empresa torna-se bilionária em pouco tempo. Belfort, porém, se vicia em cocaína e outras drogas, adota um estilo de vida de extravagâncias e perde o controle da situação.
Sua empresa entra na mira do FBI, que descobre várias irregularidades e acaba levando-o à prisão.

O Lobo de Wall Street mostra como o talento pode ser explorado, independente de atuar em uma grande ou pequena empresa. Sabendo filtrar as condutas questionáveis, as estratégias de vendas da equipe liderada por Belfort também pode ser úteis para aplicar no cotidiano de vendedores de diversas áreas. Mas, principalmente, o filme deixa uma clara lição de que escolhas erradas e o deslumbramento com a riqueza podem afundar qualquer profissional.

 

Fonte: Administradores

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest