4 atitudes ousadas que empresas amam e 4 que elas odeiam

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Especialistas revelam que tipo de ousadia é valorizada no mundo corporativo e que comportamentos audaciosos podem trazer problemas na carreira

Disposição para encarar riscos revela a ousadia que as empresas querem, mas é preciso calculá-los bem para não passar imagem de irresponsabilidade, alertam especialistas

Um perfil ousado pode fazer toda a diferença na carreira. A característica é valorizada por recrutadores e, esses profissionais, por pensarem “fora da caixa” geralmente têm mais chances de chegar ao topo. “As pessoas ousadas tendem para o sucesso”, diz Thiago Medeiros, gerente da ManpowerSpecialist em São Paulo.

No entanto, há que saber o limite da ousadia. Caso contrário também é possível colocar a desejada ascensão profissional a perder, de acordo com especialistas. “A ousadia é ruim quando passa dos limites aceitáveis”, diz Lucas Peschke, diretor da Hays em São Paulo.

Pensando nisso,  decidimos investigar quais as atitudes ousadas mais valorizadas pelas empresas e quais comportamentos passam dos limites e podem trazer problemas para os profissionais.

Por dentro da ousadia que as empresas querem:

1 Perfil questionador

“São questionadores no sentindo de querem saber como as coisas são feitas”, diz Medeiros. Indagar ou contestar por que processos e procedimentos são feitos de determinada maneira demanda a coragem que só uma pessoa ousada costuma ter.

“Quando se pergunta por que uma coisa é feita de um jeito, é comum profissionais responderem que não sabem a razão, mas que sempre foi assim”, diz Peschke.

Um profissional de perfil ousado não se contentaria com a frase “sempre foi assim”, de acordo com o diretor da Hays em São Paulo.

2 Facilidade para expor novas ideias

Dizer o que pensa e trazer novas ideias com o objetivo de obter melhores resultados definitivamente não é um problema para os ousados. “Essa ousadia de falar e propor é muito importante por pode trazer inovação para as empresas”, diz Peschke.

São pessoas que trazem novos olhares para dentro do escritório. “Têm uma postura proativa, tentam sempre olhar por outro ângulo”, explica Medeiros.

3 Disposição para enfrentar riscos

Críticas, barreiras e muita resistência não abatem as pessoas dentro deste perfil, conforme explica Alex Bonifácio no livro Pense Grande (Belas Letras), que traz atitudes das pessoas de alto desempenho.

“Enfrentam pesadas críticas durante o caminho até a concretização de extraordinários objetivos e projetos. No entanto, cientes de sua capacidade e desejo, não se deixam abater e seguem suas jornadas, enquanto os demais a abandonam”, escreve o autor.

“Os profissionais ousados estão dispostos a tomar o risco, aceitar erros e se deparar com a resistência das outras pessoas”, explica Peschke. “Mesmo tendo medo de errar, são pessoas que vão tentar fazer dar certo, são destemidos neste sentido”, diz Medeiros.

4 Não resistir a mudanças

Por serem, grande parte das vezes, os agentes da novidade e inovação, as pessoas de perfil mais ousado não resistem às mudanças propostas pelas empresas em processos e procedimentos.

“As empresas precisam estar preparadas para a mudança e pessoas ousadas na equipe vão ajudar na implementação destas mudanças”, diz Peschke, da Hays.

A ousadia que as empresas não querem

Para os especialistas é possível “perder a mão” quando o assunto é ousadia. Ao passar dos limites, o profissional pode prejudicar a sua imagem e ter problemas ao longo da carreira. Confira as atitudes ousadas nada recomendáveis:

1 Tomar decisões fora da sua alçada

Por serem ousados demais, alguns profissionais não se dão conta de que devem respeitar o fluxo de decisão da empresa. Um dos comportamentos que revelam que a ousadia pode ter passado do ponto é resolver assuntos que fogem ao seu escopo de atuação. “Isto gera um grande risco para a empresa”, diz Peschke.

2 Desrespeito à hierarquia

Não reconhecer a hierarquia e, portanto não respeitá-la, também é um problema que surge quando profissional passa do ponto no que diz respeito à ousadia, segundo Medeiros. “ Ele pode passar a ser visto como um profissional que causa problemas”, explica.
A ideia pode ser ótima, mas se o estagiário achar que pode ir entrando a hora que quiser na sala da presidência da empresa para conversar sobre a sua proposta, ele tem grandes chances de se dar mal.

3 Não calcular riscos

“Se o risco não é bem calculado, o profissional passa a imagem de irresponsável”, diz o gerente da ManpowerSpecialist em São Paulo.
Ou seja, a disposição para se arriscar, que é uma atitude ousada valorizada pelas empresas pode se virar contra o profissional a partir do momento que ele é displicente na hora de calcular os riscos.

4 Rebeldia contra as regras

Questionar, querer entender a razão por que procedimentos são realizados de uma forma e não de outra também é um ponto a favor dos profissionais. Mas quando o perfil questionador descamba para a rebeldia o sinal de alerta se acende.

Você pode e deve tentar melhorar processos. Entretanto, é necessário percorrer um caminho até a mudança e, enquanto isso não ocorre, as regras em vigor devem ser respeitadas.

Via: Exame 

Clube do RH

O Clube do RH surgiu das necessidades e desejos de um grupo de profissionais de Recursos Humanos que sentiam a necessidade de falar de gente, entender gente e desenvolver gente.

Um comentário em “4 atitudes ousadas que empresas amam e 4 que elas odeiam

  • 6 de Maio de 2013 em 12:48
    Permalink

    boa tarde
    ao ler esse artigo pude percerber o fato de ser demitido em 45 dias, apesar de ser ousado eu passava insegurança devido a pressão realizado por um colocaborador da empresa que tinha um grau de hierarquia a mais que a minha, me impossibilitando de chegar ao superior por falta de conhecimento e relatar tal fato

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest